Procure no JP

Carregando...

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Nacional goleia e vai para a terceira fase da Segundona

Fala, pessoal!

Chegou ao fim a segunda fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão. Com toda a rodada derradeira acontecendo ao mesmo tempo, foi difícil escolher um jogo para ir. As opções eram várias e após horas e horas de deliberações acabei (pra variar) indo ao Estádio Nicolau Alayon para o jogo entre Nacional e Assisense, válido pelo Grupo 13.

O time paulistano ficou os 13 primeiros jogos do certame sem perder, mas acabou dando uma rateada enorme e perdeu na sequência para o Atibaia e o União São João. O vacilo deixou o time sem a classificação antecipada com a luz amarela acesa na Comendador Souza. A sorte é que o adversário não era dos mais fortes.


Nacional AC - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.

Após a derrota para o União São João na segunda rodada dessa fase, o Assisense dispensou todo seu elenco pois perdeu todo o apoio financeiro que que tinha. Os diretores acabaram colocando a molecada sub18 em campo nos quatro jogos restantes para pelo menos terminar a disputa da Segundona com dignidade. A equipe veio com apenas 14 atletas para São Paulo.


CA Assisense - Assis/SP. Foto: Fernando Martinez.


Trio de arbitragem com Flávio Rodrigues Guerra, Renata Ruel de Brito e Eduardo Vequi Marciano junto com os capitães dos times. Foto: Fernando Martinez.

Só que diferente do que todos poderiam esperar, o Nacional não conseguiu se aproveitar da diferença técnica e fez um primeiro tempo sofrível e muito abaixo da expectativa. O Assisense conseguiu segurar o jogo de forma louvável e sofreu apenas um gol, marcado por Bruno Silva aos cinco minutos.


Ataque do Nacional pela esquerda no tempo inicial. Foto: Fernando Martinez.


Jogador da casa fazendo esforço para alcançar a pelota. Foto: Fernando Martinez.

No tempo final o panorama mudou muito por conta da visível queda de rendimento físico do time visitante. O Nacional fez uma força danada para não fazer gols e mesmo assim conseguiu aplicar uma grande goleada. Emerson fez o segundo aos sete e Fernando o terceiro aos 12.


Lance pelo alto dentro da área assisense. Foto: Fernando Martinez.


Cruzamento dentro da área em mais um gol nacionalino. Foto: Fernando Martinez.

Sócrates, o grande artilheiro da Segundona até aqui com 16 gols, marcou duas vezes, aos 25 e aos 30 minutos e o camisa 16 Leque fechou o marcador aos 36. Se os donos da casa tivessem se aplicado um pouco mais, daria fácil para chegar a um placar de dois dígitos. Para desespero do Mílton, não foi dessa vez que ele quebrou o jejum de 44 anos sem ver o "nove".


Boa defesa do goleiro do Assisense Cristiem. Foto: Fernando Martinez.


Bruno Silva segurando a bola no campo de defesa do time visitante. Foto: Fernando Martinez.

No fim, o Nacional 6-0 Assisense classificou o time para a terceira fase da Segundona na terceira posição do Grupo 13. Fica o alerta que não poderá acontecer nenhum vacilo na próxima fase, já que somente os dois primeiros de cada chave garantirão suas vagas entre os oito melhores do campeonato. O Naça fará parte do Grupo 16 junto com Barretos, Mauaense e União Mogi.

Aproveito e deixo aqui os parabéns ao pessoal do CA Assisense por terem vindo para esse jogo mesmo com a difícil situação em que se encontram. Infelizmente já vimos algumas equipes darem WO em partidas finais, algo sempre muito chato e nada esportivo.

Bom, depois dessa peleja estava com tudo pronto para ir para casa passar o restante do domingo fazendo fotossíntese por conta do absurdo calor desse inverno de araque. Mílton Haddad acabou me convencendo e de última hora acabei indo com ele para o ABC para o ABC ver o São Caetano em ação.

Até lá!

Fernando!

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Corinthians joga bem (!) e goleia o Goiás na Arena

Opa,

Com a queda da Portuguesa ficou mais complicado para mim acompanhar de perto o Campeonato Brasileiro. Tanto que somente na última quinta-feira fiz minha estreia na edição 2014 do certame. Na novíssima Arena Corinthians vi o confronto do Corinthians, óbvio, contra o Goiás.

A chegada até Itaquera foi relativamente tranquila mesmo com as famosas cenas de guerra que vemos às seis da tarde na Estação Luz. Sem o monte de barreiras da FIFA foi super fácil entrar nas dependências do estádio. Vale registrar a presença do amigo Luiz Fôlego relembrando as jornadas da Copa e responsável por me descolar o ingresso para a pugna.


Corinthians e Goiás perfilados para o Hino Nacional Brasileiro. Foto: Fernando Martinez.

Como já era esperado, as coisas mudaram no novo estádio alvinegro em relação ao que vi na Copa do Mundo. Agora vários tapumes dividem os setores e as arquibancadas temporárias - local de onde assisti dois jogos do Mundial - estão sendo desmontadas, deixando o local com um aspecto de obra em andamento.


Arquibancada temporária norte sendo desmontada. Foto: Fernando Martinez.

Outro ponto bem diferente foi que, apesar das confortáveis cadeiras, todo mundo viu o jogo em pé (é, confesso que eu não entendo muito isso). De pé, os mais de 26 mil pagantes acabaram vendo provavelmente a melhor apresentação corintiana nesse ano.


Jadson armando ataque corintiano pela direita. Foto: Fernando Martinez.

Invertendo os papéis que estamos acostumados a ver, o ataque funcionou e a defesa provocou calafrios nos torcedores. O primeiro tempo teve um Corinthians melhor, mas foi o Goiás que abriu o marcador. Guerrero depois empatou de cabeça e levou a peleja em 1x1 para os vestiários.


Guerrero tentando o seu de cabeça. Foto: Fernando Martinez.


Público razoável para Corinthians x Goiás. Foto: Fernando Martinez.

No segundo tempo o time esmeraldino surpreendeu novamente e fez 2x1 aos 15 minutos. Parecia que o Corinthians deixaria nova chance de vitória em casa escapar. O bom futebol local não deixou que a zebra passeasse na Arena. Com gols de Elias e três do atacante Luciano, o Timão voltou a vencer no nacional.


Momento do segundo gol goiano. Foto: Fernando Martinez.

O placar final de Corinthians 5-2 Goiás, que poderia ter sido um 8x3, refletiu bem o que foi a peleja. O time paulista continua na difícil caça ao líder Cruzeiro, só que a cada rodada que passa fica mais a certeza que os mineiros são favoritos para mais um título.

A volta foi mais tranquila e feita via trem até o QG do Bom Retiro. O cronograma marcava pelejas para sexta e sábado, mas por vários motivos voltei aos campos somente no domingo.

Até lá!

Fernando

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Azulão segue sua via-crucis na Série C e fica no zero com o Macaé

Opa,

Depois de um sábado sensacional, o domingo de futebol foi bem fraquinho. Também, atualmente ir ver o São Caetano em campo é indício quase certo de sofrimento. Em mais um capítulo da sua via-crucis no Campeonato Brasileiro da Série C, o Azulão recebeu o Macaé no Estádio Anacleto Campanella.


AD São Caetano - São Caetano do Sul/SP. Foto: Fernando Martinez.

Em dez jogos disputados até então, o time do ABC venceu apenas dois (ida e volta contra o Guarani), empatou outros dois e perdeu seis, retrospecto que faz o time não sair da zona de rebaixamento há muito tempo. Para piorar, o time consegue a proeza de ter o pior ataque do certame com apenas cinco gols marcados.


Macaé EC - Macaé/RJ. Foto: Fernando Martinez.


Capitães dos times e trio catarinense para a peleja com Edmundo Alves do Nascimento, Eder Alexandre e Alex dos Santos. Foto: Fernando Martinez.

Apesar da expectativa ruim, o primeiro tempo até que foi movimentado. A peleja teve três momentos diferentes: até os 15 minutos o Azulão jogou melhor e levou bastante perigo ao gol defendido por Daniel. Teve até bicicleta que passou perto da trave.


Marcação firme do Macaé. Foto: Fernando Martinez.


Lateral prestes a lançar a bola dentro da área fluminense. Foto: Fernando Martinez.


Bicicleta estilosa no ataque do Azulão. Foto: Fernando Martinez.

Dos 16 aos 30 minutos só deu Macaé. O goleiro Saulo fez simplesmente quatro defesas brilhantes, a mais bonita delas num tirambaço á queima-roupa, e impediu que a equipe fluminense saísse na frente do placar. Dos 31 até o fim da etapa inicial, o escrete do ABC voltou a ter o domínio das ações mas não marcou.


Uma das várias ótimas defesas do goleiro Saulo. Foto: Fernando Martinez.


Mais uma boa intervenção do arqueiro local. Foto: Fernando Martinez.


Atletas apostando corrida no ataque paulista. Foto: Fernando Martinez.

No tempo final infelizmente tudo piorou. A peleja caiu demais de rendimento e o maior destaque ficou por conta da lenda Zé Galinha, o mais presente vendedor de amendoins da região, oferecendo seus produtos em francês e falando sobre sua bela filha Desiree Balalaika Lavoisier. Um gênio. Além disso, o São Caetano conseguiu desperdiçar um gol mesmo sem goleiro. Proeza do camisa 20 Róbson.


O segundo tempo foi ruim e poucas vezes os times chegaram ao ataque. Foto: Fernando Martinez.


Jogador do Macaé intercepta ataque local. Foto: Fernando Martinez.

O tempo passou e o placar final ficou em São Caetano 0-0 Macaé. Péssimo resultado para o Azulão, que continua na zona de rebaixamento e doidinho para jogar a quarta divisão em 2015, e para o time visitante, que continua fora do G4.

Até a próxima!

Fernando

Jogaço pelo sub20 e vitória do Nova Odessa contra o Sumaré

Fala, pessoal!

Depois de acompanhar a vitória do Ituano pela Série D o foco mudou e fomos para uma partida completamente perdida válida pelo Campeonato Paulista sub20 da 2ª divisão. Pela primeira vez fomos ver um joguinho na cidade de Nova Odessa, distante 125 quilômetros da capital. Lá, o Nova Odessa AC recebeu o Sumaré.


Belo entardecer em Nova Odessa. Foto: Fernando Martinez.

Percorremos sem percalços o trecho entre Itu e a cidade, chegando no Estádio Municipal Natal Gazetta ainda com 50 minutos para o apito inicial. Com muita fome, descobrimos que na porta do estádio uma moradora abre as portas da sua garagem e vende espetinhos quando há algum evento esportivo por ali.

Mesmo com a simpaticíssima moça já de saída para a missa do sábado, ela fez questão de nos atender super bem. Por módicos dois reais a unidade, os espetinhos são simplesmente sensacionais e ganharam fácil o concorrido Selo JP de qualidade. Os amigos Estevan e Renato ainda se acabaram com um caldo de cana de um tiozinho figuraça, "pai de 21 filhos", como ele mesmo fez questão de deixar claro, no mesmo local.

Após esse rápido momento gastronômico fomos ao gramado da acanhada e aconchegante cancha. Jogando pela primeira vez a categoria sub20 da FPF, o ex-Guarani Sumareense e ex-Boa Vista perdeu na estreia para o SEV e empatou fora de casa contra o Pirassununguense. O (surpreendente) bom público presente queria ver a primeira vitória.


Nova Odessa AC (sub20) - Nova Odessa/SP. Foto: Fernando Martinez.

Já o Sumaré foi derrotado pelo Lemense no seu único jogo realizado e também precisava vencer mesmo jogando longe de casa. Aliás, mesmo se eventualmente chegar na final, o time vai jogar sempre fora de casa, já que na verdade quem está jogando é o Comercial de Tietê. A versão oficial diz que a FPF não liberou o estádio da cidade, então aproveitaram para fazer uma parceria com o Sumaré AC, que estava sem time para jogar o sub20, para deixar o pessoal na ativa


Sumaré AC (sub20) - Sumaré/SP. Foto: Fernando Martinez.

Conversamos com integrantes da comissão técnica e eles disseram que a ideia é que em 2015 tudo seja acertado na cancha tieteense para participarem do sub15, sub17 e sub20. A ideia também é voltar ao profissionalismo - a equipe está afastada desde 2002 - o quanto antes. Desde já torcemos para que tudo dê certo.


Trio de arbitragem e capitães dos times. Foto: Fernando Martinez.


Ataque do Sumaré no começo da peleja. Foto: Fernando Martinez.

Numa noite muito agradável vi um jogaço, um dos cinco melhores de 2014 e de longe o mais sensacional no meu pós-Copa. O onze visitante começou melhor e foi dono da peleja durante a primeira metade do tempo inicial. O ataque ia bem, mas pecava demais nas conclusões, impedindo que o Comerc... ops, Sumaré saísse na frente.


Jogador sumareense fazendo uma pose plástica para evitar o lateral. Foto: Fernando Martinez.


Cobrança de falta para o time visitante. Foto: Fernando Martinez.

Mesmo jogando melhor, a zaga sumareense jogava em linha, deixando sempre os atacantes locais em impedimento. Comentei que, no primeiro passe realizado no tempo certo, sairia o gol. Aos 24 minutos, dito e feito. A bola foi lançada na direita, e com a zaga toda parada pedindo anulação do lance, ficou fácil para o lateral cruzar na área e o camisa 10 Alexsander completar.


Jogador do Nova Odessa se preparando para cobrar uma falta. Foto: Fernando Martinez.


Goleiro do Sumaré indo buscar a bola no fundo do seu gol, fato que aconteceu três vezes no tempo inicial. Foto: Fernando Martinez.

A partir daí só deu Nova Odessa. O time chegou fácil aos 3x0 com dois gols de Matheus Fernandes aos 37 e aos 45 minutos. Enquanto os jogadores descansavam nos vestiários, fizemos o tradicional bate-bola no "gol da esquerda" do Natal Gazetta. A melhor defesa da noite saiu justamente aí, numa bela intervenção do goleiro Renato em chute meu de voleio após bom passe do meia Estevan.

 


Estevan e Renato mostrando categoria em cobranças de pênalti e a minha pessoa (como sempre) colocando a pelota no fundo das redes. Fotos: Fernando Martinez e Estevan Azevedo.

Embalados pelo primor futebolístico do intervalo, o NOAC iniciou o tempo final ainda avassalador. Aos 12 segundos Alexsander avançou na boa pelo campo de defesa do Sumaré e tocou na saída do goleiro para fazer 4x0. Parecia que a peleja estava decidida.


Ataque visitante pela direita. Foto: Fernando Martinez.

Mas o Sumaré não se abateu e, aproveitando o natural recuo do Nova Odessa, passou a ficar mais tempo com a bola. Pablo e Werner, com gols seguidos aos 14 e 15 minutos, recolocaram o time azul de novo na partida. O jogo era eletrizante e parecia que os jogadores estavam ligados no 220. Não faltou emoção por ali.


Investida pelo alto no ataque do Sumaré. Foto: Fernando Martinez.


Boa defesa do goleiro do Nova Odessa. Foto: Fernando Martinez.

Aos 36 os visitantes tiveram um penalti marcado a favor. A cobrança toda estilosa de Pablo deixou a peleja mais aberta do que nunca. Vimos mais 15 minutos de futebol repletos de emoção e muita correria. Por pouco, muito pouco mesmo, o Sumaré não conseguiu chegar ao improvável empate.


Um bom público compareceu ao Natal Gazetta para conferir a peleja. Foto: Fernando Martinez.

No fim, o placar de Nova Odessa 4-3 Sumaré até foi injusto em virtude de tamanha pressão dos visitantes no tempo final. Independente disso, fazia muito tempo que não via um jogo de futebol com tanta qualidade. Os dois treinadores e os atletas estão de parabéns respectivamente pela montagem e pela disposição apresentada em campo.

Demos uma volta nas dependências do estádio antes de passear um pouco pela cidade. Paramos num daqueles geniais quiosques de lanches ao lado da estação ferroviária e ficamos ali um bom tempo jantando e contando os vagões levados pelas locomotivas que passaram do nosso lado.

Já por volta das 23 horas finalmente deixamos Nova Odessa com destino a São Paulo. O percurso foi feito com uma sensacional trilha sonora baseada no rock dos anos 80. Chegamos de madrugada e por conta disso desisti da rodada do domingo cedo, voltando aos campos na parte da tarde com minha estreia na Série C 2014.

Até lá!

Fernando

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Atual campeão paulista, Ituano vence a primeira na Série D

Salve amigos!

No último sábado revivi o passado, resgatando a tradição das caravanas JP. Tive a honra da companhia dos amigos Fernando Martinez e Renato Rocha. Depois de acompanhar o espetacular Torneio “Retrô” (Taça Oberdan Cattani) na Rua Javari, seguimos para a “grande” cidade de Itu, na região da Sorocabana.

Depois de exatos 42 minutos de estrada (espero não ser surpreendido por nenhuma multa por excesso de velocidade), chegamos ao Estádio Dr. Novelli Junior, o "Majestoso da Vila Nova", palco do duelo entre Ituano FC e Maringá FC. O inusitado duelo entre campeão paulista e vice paranaense de 2014.


Fachada do Estádio Dr. Novelli Júnior, em Itu. Foto: Fernando Martinez.


Visão panorâmica do estádio durante o jogo. Foto: Estevan Azevedo.

A partida valeu pela quinta rodada do primeiro turno da primeira fase do Campeonato Brasileiro da Série D em seu grupo A7. O time da casa começou mal o campeonato, e segurava a lanterna do grupo com um empate em três jogos. Os paranaenses viviam um momento oposto, liderando com duas vitórias e um empate. A vitória era essencial para que o Ituano mantivesse qualquer pretensão de acesso no torneio.


Ituano FCL - Itu/SP. Foto: Fernando Martinez.


Maringá FC - Maringá/PR. Foto: Fernando Martinez.


Arbitragem formada por Thiago de Alencar Gonzaga, Andreia Marcelino de Sá e André roberto Smith Silveira com os capitães das equipes. Foto: Fernando Martinez.

Devidamente instalados em campo, acompanhamos o domínio rubro-negro na primeira etapa, quando o arqueiro Diego pouco trabalhou. O momento culminou em uma boa chance para a equipe: Claudinho cruzou para a finalização de Ricardinho, por cima da meta defendida por Edinaldo.


Lance da primeira etapa. Foto: Fernando Martinez.


Ricardinho (11) manda a bola MUITO para cima. Foto: Estevan Azevedo.

Dois minutos depois, a Zebra respondeu, com Eydison chegando na linha de fundo e cruzando para Bahiano na pequena área. Mas o atacante acabou perdendo a dividida com o goleiro.


O público foi pequeno para acompanhar outro jogo do campeão paulista da Série D. Foto: Estevan Azevedo.


Ataque do Ituano na primeira etapa. Foto: Estevan Azevedo.

Aos 23 minutos foi a vez de Marcão cabecear com perigo ao gol dos visitantes, após cobrança de falta de Christian, que mostrava muita movimentação, apesar da idade. Passados trinta minutos de jogo, os visitantes se soltaram e começaram a arriscar uns ataques, mas sem levar muito perigo nas conclusões. Sem grandes emoções, o primeiro tempo acabou sem abertura do placar.



Mais uma tentativa ituana de abrir o placar, em cabeçada de Marcão. Fotos: Estevan Azevedo.

No intervalo, a tradicional busca por guloseimas locais, e o encontro de um delicioso pastel de carne, seguido de um surpreendente espetinho de morangos cobertos com chocolate. Tudo muito bem regado à tubaína local, óbvio.


Jogador do Maringá se esticando todo pra fazer o corte. Foto: Fernando Martinez.

Assistimos a segunda etapa atrás do gol onde o Galo atacava. Logo aos dois minutos, Marcão cabeceou a queima-roupa contra o gol defendido por Edinaldo, obrigando-o a operar verdadeiro milagre. Aos 11 minutos, Christian cobrou falta da direita e Ricardinho desviou para as redes. Estava aberto o marcador, com justa vantagem aos locais. Na súmula, o gol foi anotado para Christian.


Detalhe do gol do Ituano, anotado por Marcão. Foto: Fernando Martinez.

A segunda etapa, de forma geral, foi bem melhor do que a primeira, mas as equipes erraram muito nas finalizações. Os cerca de 500 torcedores presentes (o público oficial, de quase mil torcedores, engloba os carnês vendidos a torcedores que preferiram o Caldeirão do Huck) ainda viram um abafa paranaense nos cinco minutos finais, respondido em alguns bons contra-ataques ituanos, mas ficou nisso mesmo.


Ataque local pela direita. Foto: Fernando Martinez.


Ataque do Maringá na segunda etapa. Foto: Estevan Azevedo.

Fim de jogo, Ituano 1x0 Maringá, resultado que deu ânimo para o Ituano vencer sua próxima partida, em casa, contra o Guarani/SC, colocando-se de vez na briga pela classificação, e manteve o Maringá na zona dos que avançam.

Até a próxima!

Estevan Azevedo